Mulheres já recorrem a tratamento com laser íntimo

A preocupação com saúde, estética e beleza avança a cada dia e aumenta a oferta de procedimentos e tratamentos capazes de melhorar a autoestima dos pacientes. Destaque em importantes congressos e simpósios médicos recentes, o laser íntimo é um procedimento que atende a diversas questões e reclamações das mulheres.

“O laser íntimo constitui uma inovadora técnica não invasiva de tratamento para diversas queixas femininas. Dentre elas: hipertrofia de pequenos lábios, o ressecamento vaginal e perda da elasticidade – pelo efeito de privação hormonal decorrente da menopausa fisiológica ou induzida por procedimentos cirúrgicos- dor durante a relação sexual, prurido vaginal, infecções de repetição (Cândida e herpes genital, por exemplo), Incontinência urinária de esforço leve, desconforto ao urinar e infecção urinária recorrente cuja geratriz e a deficiência hormonal, relaxamento vaginal pós-parto, atrofia da mucosa vaginal acusada pela menopausa, uso de medicamentos como contraceptivos compostos apenas por progesterona ,medicação para tratamento de acne e de câncer de mama, além de quimioterápicos e da própria menopausa” , explica a médica Flavia Tarabini, ginecologista que atende nessa área na clínica Dr. André Braz, no Rio de Janeiro.

Essas novidades também se aplicam às pacientes que tenham contraindicações às terapias hormonais pós menopausa que tenham queixas genitais.

“O procedimento é realizado no consultório com a paciente em posição ginecológica, sendo introduzida através do espéculo na cavidade vaginal uma ponteira pela qual são emitidos os pulsos do laser”, afirma a médica.

A duração da sessão é de aproximadamente 30 minutos e são indicadas três sessões com intervalo mensal. O tratamento é indolor, sem queimaduras, sem cortes e sem sangramento. Não necessita de nenhum tipo de preparo ou cuidados posteriores. A paciente retoma suas atividades imediatamente ao seu término, de acordo com a especialista.

Cabe destacar que não deve ser realizada por gestantes e na presença de tumores ou infecções genitais (colo uterino, vagina, vulva)”, alerta a médica.

Para a realização do laser íntimo é fundamental a avaliação ginecológica.

Fonte: Página da Saúde